Multilingual Folk Tale Database


Information

Author: unknown author

Translated into Portuguese

Based on Ananse eni Akekrehemaa

Country of origin: Ghana

Story type: The Fox and the Crane Invites Each Other (ATU 60)

Translations

Afrikaans - viewaligned

Aragonese - viewaligned

Basque - viewaligned

Catalan - viewaligned

Danish - viewaligned

Dutch - viewaligned

English - viewaligned

French - viewaligned

Galician - viewaligned

German - viewaligned

Italian - viewaligned

Judaeo-Spanish - viewaligned

Mapuche - viewaligned

Neapolitan - viewaligned

Nzema - viewaligned

Occitan / Aranese - viewaligned

Portuguese - aligned

Russian - viewaligned

Spanish - viewaligned

Venda - viewaligned

Zulu - viewaligned


Add a translation

A aranha e a tartaruga

Um dia, Anansi, a aranha, colheu alguns legumes muito gordos e saborosos na sua horta. Ele os cozinhou com muito cuidado e eles ficaram cheirando deliciosamente. Ela não podia esperar para sentar e comê-los.

Nesse momento bateram à sua porta. Era Tartaruga, que tinha viajado o dia enteiro e estava muito cansado e faminto.

"Olá, Anansi", disse Tartaruga. "Eu estou caminhando há tanto tempo, e senti o cheiro dos legumes mais deliciosos que eu já sentia. Você seria tão amável de compartilhar a sua refeição comigo?"

Anansi não pode recusar, como era costume no seu país, dividir a sua comida com as visitantes na hora de comer. Mas ele não ficou muito feliz, pois Anansi era um pouco ganancioso e queria comer todos os legumes deliciosos sozinho. Então Anansi pensou e bolou um plano.

"Por favor, Tartaruga, entre. Eu ficarei honrado de tê-lo como meu convidado esta noite. Sente-se, agafe uma cadeira e sirve-se."

Tartaruga entrou e sentou-se, mas assim como ele estendeu a mão para um vegetal, Anansi gritou: "Tartaruga, não sabes melhor do que vir para à mesa com as mãos sujas?"

Tartaruga olhou para suas mãos e viu que eles estavam bem sujas. Ele tinha estado a rastejar durante todo o dia e não tinha tido a oportunidade de limpá-las. Tartaruga se levantou e foi até ao rio para lavar os pés. Ele percorreu, lento como todas as tartarugas, todo o caminho de volta até a casa, e quando voltou, Anansi já tinha começado a comer.

"Eu não quis estes legumes deliciosos ficassem fríos, então eu tive que começar", disse Anansi. "Mas por favor, junte-se a mim agora, Tartaruga".

Tartaruga sentou-se de novo e já se ia servir de verduras, mas mais uma vez Anansi gritou com ele.

"Tartaruga, que você não ouviu o que eu te disse antes? Não é educado vir para a mesa com as mãos sujas!"

Ele olhou para baixo e viu que suas mãos limpas tinham se sujado de novo, pois ele tinha caminhado sobre elas quando voltou para a casa. Então, ele foi mais uma vez ao rio para se lavar. E quando voltou esta vez, caminhou cuidadosamente pela grama para que suas mãos ficaram limpas. Mas antes que se sentasse à mesa, Anansi já tinha acabado de comero último pedaço dos deliciosos legumes, não sobrando uma migalha sequer.

Tartaruga olhou para Anansi por um momento e disse: "Obrigado por dividir a sua comida comigo. Quando você for algum día pelos lados da minha casa, por favor deixe-me retribuir a gentileza." E então ele caminhou lentamente para fora e seguiu o seu caminho.

Os dias se passaram e Anansi pensava mais e mais na refeição que Tartaruga tinha oferecido. Ele estava cada vez mais interessado ​​num jantar grátis e finalmente não aguentou mais. Ele saiu um dia para encontrar a casa de Tartaruga.

Ele encontrou Tartaruga tomando sol na beira de um rio, justamente perto da hora do jantar.

Tartaruga o viu e disse: "Olá, Anansi, você veio para jantar comigo?"

"Oh sim, sim!" disse Anansi, que estava cada minuto mais faminto. Tartaruga foi debaixo mergulhou no rio para sua casa, para por a mesa do jantar. Logo ele retornou paraà margem do rio e disse: "O seu lugar está posto e o jantar está pronta. Por favor, Anansi, junta-se a mim,"

E então ele nadou por baixo d'água e começou a comer sua comida lentamente.

Anansi pulou na água, mas não conseguiu chegar ao fundo do rio. Ele tentou nadar para baixo, mas era tão leve que ficava boiando ​​na superfície.

Ele tentou mergulhar e tentou nadar pelas costas. Ele tentou uma corrida para mergulhar, mas não conseguiu de jeito nenhum alcançar o fundo do rio.

Enquanto isso, Tartaruga ia lentamente comendo a sua comida.

Anansi não estava a fim de perder um jantar grátis, e foi pela margem dorio matutando o que fazer. Finalmente, ele teve uma ideia. Ele começou a pegar pedras e rochas e os enfiaram nos bolsos do paletó.

Agora, quando ele pulou na água afundou até o fundo e foi capaz de tomar o seu lugar na mesa.

A mesa era muito bonito e cheio de comidas deliciosas. Anansi mal podia acreditar quanta saborosa comida estava diante dele e não podia esperar para começar a sua refeição.

Mas assim como ele chegou para o primeiro bocado, Tartaruga parou de comer e disse: "No meu país, não usamos os nossos casacos na mesa."

Anansi notou que Tartaruga havia retirado o seu próprio casaco antes de se sentar. Anansi começou a tirar o casaco, e logo que estava fora de seus ombros, ele voltou directamente até a superfície. Ele enfiou a cabeça na água e viu Tartaruga, aí abaixo, tranquilamente comendo a sua deliciosa comida.